PERIODONTITE APICAL CRÔNICA ASSOCIADA À RAIZ RESIDUAL:

RELATO DE CASO CLÍNICO. MILLENA LENIZE RIBEIRO CABRAL

  • MILLENA LENIZE RIBEIRO CABRAL
  • SABRINA ELYANE OLINEK

Resumo

O tecido pulpar fica alojado no interior da cavidade pulpar, protegido das substâncias exógenas da cavidade bucal por tecidos mineralizados (dentina, cemento e esmalte). Entretanto cáries, traumas dentários, procedimentos restauradores e outros fatores etiológicos violam a integridade desses tecidos, permitindo a ocorrência de infecções no complexo dentino-pulpar, conduzindo a uma possível necrose pulpar e lesão periapical (LOVE, 2000; PECORA, 2004). A cárie é o fator etiológico mais prevalente, seguida de fratura coronária e trauma oclusal (ALBUQUERQUE et al., 2011). Os irritantes microbianos, físicos e químicos estimulam uma resposta quimiotática que impede ou retarda a destruição do tecido pulpar. A inflamação, portanto, é uma ocorrência normal e benéfica. Todavia, também desempenha um papel destrutivo na polpa. 
Publicado
2017-08-24
Como Citar
RIBEIRO CABRAL, MILLENA LENIZE; OLINEK, SABRINA ELYANE. PERIODONTITE APICAL CRÔNICA ASSOCIADA À RAIZ RESIDUAL:. Enaproc, [S.l.], v. 1, n. 1, ago. 2017. ISSN 2526-6012. Disponível em: <https://periodicos.uniuv.edu.br/enaproc/article/view/333>. Acesso em: 18 out. 2019.
Seção
Comunicação Oral